Guia completo sobre a VMWare: tudo o que você precisa saber sobre a empresa

11 minutos para ler
Tempo de leitura 11 min

Atualmente, os serviços de virtualização e de nuvem estão ampliando as possibilidades de qualificação dos serviços de TI. Ao mesmo tempo, diminuem as necessidades de hardwares para a execução de determinadas funções, por exemplo.

Entretanto, para que você tenha uma experiência positiva com elas, é essencial escolher um fornecedor reconhecido no mercado pela eficiência e inovação, que são as marcas da VMware desde sua fundação, em 1998.

Por meio de aquisições de tecnologias de outros negócios, a VMware expandiu sua carteira de produtos para mais de 30 softwares hoje em dia. Caso queira entender um pouco mais sobre a trajetória dessa empresa, bem como suas principais atrações disponíveis, não deixe de conferir o nosso post. Boa leitura!

O que você precisa saber sobre o VMware?

A VMware é uma das principais companhias de software para virtualização e nuvem híbrida. Ela foi criada por um grupo de cinco desenvolvedores em 1998 — Diane Greene, Mendel Rosenblum, Scott Devine, Edward Wang e Edouard Bugnion. Em seu primeiro ano, a companhia atuou informalmente até o registro, em fevereiro de 1999.

Seu primeiro serviço foi o VMware Workstation, que é até hoje uma das principais plataformas de virtualização do mundo. Então, em 2001, com o VMware GSX Server (hospedado) e o VMware ESX Server (hostless), ampliou sua carteira de produtos para o mercado de servidores. Assim, consolidou-se no segmento de soluções para infraestrutura digital do setor de TI.

Hoje, trata-se de uma subsidiária da Dell Technologies, tendo sido adquirida em 2004 pelo valor expressivo de US$ 625 milhões em dinheiro. Até 2007, permaneceu como empresa de capital fechado até a abertura em uma oferta pública na Bolsa de Valores. Sua estreia foi considerada um sucesso absoluto, visto que as ações foram inicialmente cotadas a US$ 29 mas fecharam o dia com o preço de US$ 51.

No entanto, após um ano, em julho de 2008, a VMware fechou com um desempenho financeiro muito baixo do esperado. Ocorreu então a primeira “dança de cadeiras” da corporação, na qual a co-fundadora, presidente e CEO Diane Greene foi substituída por Paul Maritz, que comandava o setor de computação em nuvem da Dell.

Isso representou uma importante ruptura dentro do negócio, pois Greene estava no cargo desde a fundação. Alguns meses depois, Mendel Rosenblum, co-fundador da VMware e então CIO, anunciou sua renúncia. Apesar dessa polêmica, a empresa começou a recuperar o fôlego e, nos anos seguintes, ajudaria a alavancar as tecnologias de nuvem e virtualização a um uso mais cotidiano nos negócios.

Em maio de 2013, por exemplo, criou um serviço próprio de Infraestrutura como Serviço (IaaS), o vCloud Hybrid, pensado como uma extensão em nuvem híbrida do vSphere, tendo compatibilidade e integração completa com todas as máquinas virtuais fornecidas pela VMware.

Atualmente, os números financeiros da empresa impressionam. Os últimos dados consolidados são de 2016, apresentando:

  • receita de U$ 7,92 bilhões;
  • receita operacional de U$ 1,439 bilhão;
  • resultado líquido de U$ 1,186 bilhão (2016);
  • total de ativos igual a U$ 16,643 bilhões (2016);
  • patrimônio líquido de U$ 8,097 bilhões (2016).

Os serviços e produtos da empresa estão disponíveis nos principais sistemas operacionais da atualidade, Microsoft Windows, Linux e macOS. Outros produtos, porém, podem ser executados diretamente no hardware do servidor sem um sistema operacional, como o VMware ESXi, que é um hipervisor de softwares corporativos.

A ampla carteira vai além do citado acima, contando com dezenas de softwares e serviços, como:

  • VMware ESXi;
  • VMware Workstation;
  • VMware Integrated Openstack;
  • VMware Fusion;
  • VMware Cloud Foundation;
  • VMware Player;
  • VMware Server (discontinued);
  • VMware Service Manager;
  • VMware ThinApp;
  • VMware View;
  • ACE;
  • vCloud Director;
  • VMware Infrastructure;
  • Converter;
  • Site Recovery Manager;
  • Stage Manager;
  • vRealize Automation;
  • vRealize Operations;
  • VMware NSX;
  • vRealize Business;
  • VMware vSAN;
  • AppVolumes;
  • vRealize Log Insight;
  • vRealize Network Insight;
  • vRealize CodeStream;
  • vRealize Orchestrator;
  • VMware Workspace ONE.

Obviamente é impossível falar de cada um deles aqui no post, mas abordamos os principais nos próximos tópicos. Confira.

Quais são as soluções fornecidas atualmente pela VMWare?

Data Center e infraestrutura de nuvem

Esses serviços formam o carro-chefe da empresa e representam o motivo pelo qual ela é tão famosa no mundo, pois oferece os softwares mais funcionais para as atividades cotidianas do setor de TI de um negócio.

O VMware vSphere representa o conjunto de produtos relacionados com todas as tarefas de virtualização — incluindo o ESXi, o vCenter Server, o vSphere Client, o vMotion etc. Talvez você o conheça pelo nome mais antigo, VMware Infrastructure, que foi adotado antes de 2009.

O produto atual data de abril de 2019, na versão vSphere 6.5. A grande vantagem é a disponibilidade em três edições: Standard, Enterprise e Enterprise Plus. Desse modo, cada negócio pode optar por um pacote adaptável às suas necessidades, sendo o Standard o mais básico e o Enterprise Plus o mais avançado.

Rede e Segurança

O VMware NSX, por sua vez, consiste em um software de infraestrutura de rede virtual e segurança. Originalmente ele não foi criado pela VMware, porém ganhou inclusão na carteira por meio da aquisição da Nicera em 2012. Ele é essencial para quem quer aumentar o nível de complexidade da rede com novas funcionalidades.

Por exemplo: o NSX permite a criação da função de administração de rede, com login e senha próprios. Assim, o responsável por ela é capaz de fazer várias modificações, como desenvolvimento, implementação e configuração de redes virtuais e switches.

Sendo assim, em vez de fazer as complicadas implementações de hardware, com diversos cabeamentos e servidores, o software simula o ambiente físico em uma máquina virtual. Para isso, cria-se uma camada de software que fica acima do hipervisor, dividindo uma rede física em inúmeras virtuais.

O VMware vRealize Network Insight, por sua vez, é o ambiente de gerenciamento de operações de rede, complementando as atividades do NSX. No vRealize, por exemplo, é possível planejar a micro segmentação da rede e verificar a integridade do NSX. Ou seja, enquanto o NSX faz a tarefa bruta, o vRealize coleta informações deste e roda para todas as tarefas de gestão e governança.

Vale ressaltar que esse não é um software criado pela própria VMware: ele foi incorporado durante o processo de aquisição da Akin. No entanto, a empresa o integrou a seus outros serviços, elevando o nível de funcionalidade. Atualmente o vRealize é capaz de identificar e exibir os erros do NSX Manager em sua própria interface gráfica.

Plataforma SDDC

A plataforma da VMware Cloud Foundation se enquadra no conceito de pilhas de softwares. Em outras palavras, trata-se de um conjunto de padrões e protocolos capazes de unir o código e, portanto, as funcionalidades de vários softwares em um único ambiente. Para isso, o vSphere, o vSAN e o VMware NSX são integrados por meio de um gerenciador de data center definido por software (SDDC).

O SDDC (data center definido por software) é um termo genérico para todos os recursos de armazenamento de dados em que os atributos da infraestrutura são virtualizados, como rede, CPU, segurança etc.

Entre as ferramentas trazidas por esse ambiente, está a possibilidade de implementar pacote local na forma de nuvem privada mas executá-lo como nuvem pública. Com isso, o administrador consegue executar um aplicativo imediatamente, sem precisar de uma rede naquele instante.

Armazenamento e Disponibilidade

A primeira ferramenta importante para armazenamento é o VMware vSan, integrado ao hipervisor ESXi e ao vSphere. Seu principal recurso consiste no agrupamento do espaço de disco em vários hosts ESXi. Assim, ele realiza várias medidas de provisionamento inteligente, como o thin provisioning e o erasure coding.

Já o VMware Site Recovery Manager (SRM) tem como principal foco a recuperação de dados após desastres, naturais ou não. Apesar do nome remeter a catástrofes, um desastre pode ser um evento simples, como o apagamento acidental por um funcionário, por exemplo.

Assim, o administrador de TI pode criar planos de recuperação automática dos dados em caso de falha, sem nenhuma intervenção humana. Consequentemente, o SRM permite a configuração de failover e failback automatizados de todas as ferramentas de VM.

Ademais, ele se integra ao NSX com a finalidade de preservar as políticas de segurança mesmo diante de falhas críticas. Portanto, sua empresa não precisará mais se preocupar com a vulnerabilidade diante delas.

Por fim, temos o VMware vCloud NFV, que funciona como uma plataforma de virtualização de funções de rede. Com ele, os provedores de serviços podem rodar funções de rede na forma de aplicativos virtualizados. Desse modo, o NFV traz os mesmos benefícios da virtualização e da nuvem a provedores de serviços de comunicação. Antigamente era necessário um hardware específico.

Plataforma de gerenciamento de nuvem

Como as nuvens híbridas são um dos carros-chefe da VM, eles se especializaram em diversas ferramentas de gestão de cloud, como o vRealize Suite. Um suite consiste em um conjunto de softwares oferecidos para trazer uma solução completa. Atualmente, as seguintes aplicações fazem parte do vRealize Suite:

  • vRealize Operation;
  • vRealize Log Insight;
  • vRealize Automation;
  • vRealize Business for Cloud.

Esse pacote permite a implementação e a gestão de VMs nos mais diversos hipervisores e plataformas de nuvem. A grande vantagem em relação aos produtos concorrentes é a forte integração, que torna possível a execução dessas tarefas em um único console.

Espaço de trabalho digital

A principal ferramenta de espaço de trabalho digital é o Workspace ONE, que também aparece na forma de um suíte das seguintes aplicações: VMware AirWatch, Horizon Air e Identity Manager. Juntas, elas possibilitam que o time de TI controle dispositivos móveis, desktops virtuais e aplicações hospedadas na nuvem por meio de uma plataforma unificada — a qual pode ser implementada tanto fisicamente quanto na nuvem.

Por exemplo: o Identity Manager se enquadra no conceito de Identity as Service, isto é, aplicações terceirizadas voltadas para a identificação dos administradores em inúmeros locais diferentes. Assim, é possível criar um logon único (SSO) para todos os seus aplicativos de web, mobile e cloud.

Gerenciamento de mobilidade empresarial

O VMware AirWatch é uma ferramenta que se enquadra no termo guarda chuva das EMM — gerenciamento de mobilidade corporativa. Basicamente, ele permite que um administrador seja capaz de gerenciar os dispositivos móveis, redes wireless, aplicações de mobile computing em uma única plataforma.

Assim fica muito mais fácil proteger os dados empresariais acessados por qualquer dispositivo, independentemente da rede a qual ele está conectado.

Área de trabalho virtual

Por fim, abordamos uma ferramenta bastante utilizada em ambientes que operam tanto com os produtos da Apple quanto do Windows. O VMware Fusion é um software de virtualização do ambiente Windows em computadores com sistema operacional MacOS. Isso exclui a necessidade de reinicializar o dispositivo para fazer transições entre os dois sistemas operacionais.

O SO funciona como um programa executado. Além disso, a grande vantagem do produto da VMware é a possibilidade de acessar os aplicativos do Windows na barra de ferramentas do Mac — em uma função chamada de Unity. Recentemente, as atualizações permitem também a execução do Linux e outros SO’s no Mac.

Quais as vantagens da VMware?

Ao escolher a VMware como provedora de serviços de nuvem e de virtualização, portanto, você já sabe que passa a contar com uma enorme carteira de produtos com soluções excelentes para o cotidiano empresarial. Seguindo essa linha, vários softwares com integração de praticamente 100%, sem a necessidade de programação adicional, ficam disponíveis.

Trata-se, ainda, de uma empresa altamente renomada no mercado, cujas aplicações são conhecidas pela segurança, versatilidade e estabilidade. Afinal de contas, no setor de TI é melhor escolher um provedor reconhecido do que se aventurar em ferramentas obscuras. Lembre-se: apenas uma falha na segurança pode ocasionar o vazamento de informações críticas que tendem a ser utilizadas pelos concorrentes para vencê-lo.

Não podemos deixar de abordar também a importância do suporte fornecido pelas empresas que disponibilizam os produtos da VMware. Assim, você conta com um atendimento especializado para solucionar qualquer problema no funcionamento dos softwares.

Se você quer elevar o patamar dos seus serviços de TI, deve procurar por um fornecedor especializado e que forneça os serviços da VMware. Hoje em dia, o TI é o grande diferencial competitivo dos negócios, pois tem capacidade de melhorar grande parte dos processos empresariais, trazendo soluções mais produtivas e baratas. Os investimentos nessa área precisam ser prioridade!

Gostou do post e quer continuar recebendo as melhores dicas para o setor de TI da sua empresa? Então não deixe de assinar nossa newsletter!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Scroll Up