O que é IoT e quais os benefícios para a empresa? Saiba tudo neste guia

O que é IoT e quais os benefícios para a empresa?
13 minutos para ler
Tempo de leitura 12 min

Você sabe o que é IoT? Provavelmente, deve ter ouvido falar nessa tendência, pois ela faz parte de um processo muito maior, que está ampliando a capacidade produtiva de todos os negócios. Nos últimos anos, estamos vivendo uma Quarta Revolução Industrial, ou seja, as tecnologias têm avançado tanto que está havendo uma ruptura em relação ao modelo produtivo anterior.

Dentro desse cenário de transformação digital, os dados obtidos pela IoT se tornam imprescindíveis para aumentar o nível de qualidade dos serviços, gerenciar melhor a produção, integrar completamente os mais diversos setores e trazer outras dezenas de benefícios. Para que você entenda melhor esse cenário, não deixe de acompanhar o nosso post!

1. O que é IoT?

A Internet das Coisas faz parte de um conjunto de tendências tecnológicas que estão revolucionando o panorama operacional e gerencial das empresas — a transformação digital. Junto com a Inteligência Artificial, o Big Data e a Realidade Virtual, a IoT traz maior agilidade, confiabilidade, lucratividade, entre tantos outros benefícios corporativos.

Mas, afinal, como ela funciona? Como traz melhores resultados para os negócios? O conceito de Internet das Coisas é relativamente simples: refere-se à instalação de sensores conectados entre si e com softwares de gestão para monitorar em tempo real toda a cadeia operacional, desde a entrada do produto no armazém até a entrega para o consumidor, passando pela produção e pelo controle de qualidade.

Por exemplo, o processo todo funciona da seguinte forma: você instala sensores em um produto ou em um equipamento. Podem ser termômetros, captadores de radiofrequência, sensor de movimento etc. Em alguns casos, pode ser necessária a instalação de chips em alguns produtos e equipamentos.

Todos esses elementos se integrarão a uma rede virtual, que conecta todos os computadores da sua empresa. Assim, poderão fornecer dados para os mais diversos softwares utilizados por você em tempo real. Consequentemente, o gestor pode tomar decisões com as melhores informações naquele momento.

Para isso, todos esses sensores precisam se comunicar rapidamente e, geralmente, isso é feito por meio das seguintes conexões:

  • Wi-Fi: é a mesma rede sem fio que utilizamos para a conexão com a internet — e por ser a tecnologia mais utilizada nesse contexto, ela ajudou a emprestar o nome à IoT. É a forma mais rápida e prática que sua empresa pode utilizar;
  • RFID: essa técnica pode ser utilizada simultaneamente às demais. Nela, você instala chips emissores de radiofrequência nos seus insumos e produtos. Sensores especializados captam o sinal e poderão saber informações, como localização e condições físicas.

Algumas aplicações da IoT:

Controle de estoque

É possível implementar a automação de processos de controle de estoque por meio da IoT, dispensando praticamente toda a intervenção humana no processo. Etiquetas de RFID nos produtos e sensores podem ser instalados no armazém. Qualquer movimentação entre prateleiras ou retiradas serão rapidamente registradas e enviadas para o ERP sem a necessidade de um funcionário registrar a transação.

Gestão de produção

Com os mesmos RFID, será possível mapear todo o fluxo de um insumo ou de um produto pela sua linha de produção em tempo real, com o menor custo possível. Assim, a gestão de TI poderá ter um cálculo exato do ciclo de vida dos produtos, a fim de tomar decisões que podem otimizar a produção.

Gestão de frota

Quando você acopla sensores de geolocalização e instala a Internet móvel nos veículos da sua frota, pode saber em tempo real o status de um determinado pedido. Além disso, sensores de temperatura, de umidade e de movimentação permitirão que você conheça exatamente o que está acontecendo dentro dos baús. Então, consegue coletar dados importantes para a gestão estratégica de TI e para o controle de qualidade.

2. Quais as vantagens da IoT para as empresas?

2.1. Apoio na tomada de decisão

As empresas estão caminhando para a era do Data-Driven Management, isto é, a gestão baseada em dados. O paradigma de um gestor ou de um executivo como uma espécie de guru, com ideias baseadas na sua intuição ou no “tino” para os negócios, acabou. Sim, esses fatores ainda têm um papel importante para gerar inovações, mas devem ser sempre amparados pelos dados.

Assim, não ouviremos mais frases, como “minha intuição me diz que…”, e sim “com base nesses dados, acredito que a melhor decisão seria…”. E a Internet das Coisas contribuirá bastante com esse cenário, pois facilitará a atualização em tempo real. Desse modo, quando consultar os sistemas de gestão, como os ERPs, os responsáveis terão um diagnóstico completo de como as operações estão até aquele exato momento.

Antigamente, as empresas precisavam realizar paradas periódicas nas operações para coletar os dados dos sistemas — o famoso balanço. Esse processo era demorado, pois envolvia uma série de tarefas manuais de contagem de estoque, levantamento do fluxo de caixa, preenchimento de planilhas e cálculo de métricas no Excel, revisões em busca de equívocos de anotação etc. Mesmo assim, ainda havia uma quantidade razoável de erros.

Então, frequentemente, os gestores tomavam suas decisões a partir de dados ultrapassados, que se referiam a um ciclo comercial já superado. Consequentemente, poderiam fazer escolhas incorretas, como:

  • aumentar a produção de um item cuja demanda já está desaquecida;
  • estimar o desempenho de um colaborador fora da sua linha de aprendizado, demitindo-o ou promovendo-o inadequadamente;
  • fazer pedidos de insumos fora da proporção adequada para a produção atual.

Com a IoT integrada a bons sistemas de gestão, bastarão alguns cliques para que se tenha os dados mais precisos e atualizados. Dessa forma, suas decisões estarão sempre refletindo as necessidades presentes do negócio.

2.2. Melhora na relação com o cliente

A IoT pode melhorar a relação com o cliente em diversos pontos. Como os dados sobre os produtos serão enviados para a internet, sua empresa poderá disponibilizar uma plataforma para que seja conferida, em tempo real, a localização da entrega. Também é possível implementar um aplicativo para se comunicar com o entregador por meio de um chat.

Além disso, com o controle de frota, os atendentes do seu negócio poderão atualizá-lo rapidamente sobre o status da compra. Por fim, o gestor poderá analisar esses vários dados para tomar medidas que diminuam o tempo de chegada do produto, otimizando a rota, a velocidade média, o número de paradas e o colaborador. Isso pode melhorar o uso de combustível, o que tornará o preço do frete menor. Tudo isso leva a uma maior satisfação do cliente.

2.3. Aumento da integração entre os departamentos

Geralmente, a integração de departamentos é reduzida devido a uma quantidade muito grandes de tarefas manuais. Por conseguinte, a atualização de dados acaba dependendo de um colaborador, que também é responsável por executar várias outras tarefas. Esse atraso de informações contribui para que as pessoas prefiram tomar suas decisões setorialmente.

Os sensores da IoT, por outro lado, são instalados nos mais diversos departamentos, e todos eles alimentam o sistema simultaneamente em tempo real. Isso incentiva um diálogo maior entre eles. Os colaboradores acabam se estimulando a conferir indicadores de outros setores para tomar decisões.

Então, o gestor de RH, em vez de ligar para o gerente de produção para cobrar dados sobre o desempenho de um funcionário, poderá conversar sobre o assunto para tentar entender a situação e compartilhar a decisão.

Esse é só um exemplo de integração, que também pode ocorrer entre:

  • gestão de estoque e o setor de compras: atualizando em tempo real o gasto e a necessidade de aquisição de suprimentos;
  • marketing e vendas: diante dos dados sobre a saída de um produto na loja ou no e-commerce, é possível pensar em estratégias de divulgação.

Os times só têm a ganhar com a implementação da IoT, pois o fluxo de trabalho fica muito mais simples, eficiente e ágil.

2.4. Redução de custos

A IoT permite que sua empresa tenha um diagnóstico completo sobre vários aspectos da produção, como:

  • utilização de insumos;
  • gasto com energia e combustíveis;
  • improdutividade de colaboradores;
  • demanda por produtos.

Com essas informações, fica muito mais fácil otimizar a alocação de recursos. O gestor poderá identificar rapidamente as áreas de ineficiência e tomar ações corretivas — reduzindo, assim, o custo operacional final.

2.5. Simplificação do controle das atividades

Como explicamos, o controle das atividades geralmente demanda trabalhos manuais de conferência. Essas tarefas são muito burocráticas e lentas, com diversos checklists em papel sujeitos a erro e esquecimento. A IoT permite que grande parte do controle seja feita automaticamente pelos sensores.

2.6. Otimização da análise de dados

Nós não podemos entender a IoT isoladamente, pois várias outras tecnologias têm sido implementadas de forma integrada a ela. Um exemplo é o Big Data (BD), softwares que coletam dados dos sistemas da sua empresa e os analisam para gerar insights úteis.

A IoT, com seus sensores, pode obter uma quantidade significativa de informações a todo o momento para alimentar o BD. Assim, os resultados das análises serão muito mais completos para ajudar na tomada de decisões. A seguir, estão alguns indicadores que podem ser otimizados com a IoT:

  • métricas de vendas;
  • performance de equipamentos;
  • ticket médio;
  • ciclo de vida de insumos e de produtos;
  • rotas logísticas;
  • desempenho dos colaboradores;
  • churn rate;
  • rastreamento da conquista de metas e objetivos.

A acurácia da ciência dos dados aplicados no negócio depende de cálculos de estatística e de probabilidade. Quanto mais dados específicos forem coletados, maior será a fidelidade dos resultados.

3. Como a IoT impacta diretamente o setor de TI?

3.1. Segurança da informação

A IoT aumenta bastante o volume de dados sensíveis que circulam pelos sistemas da sua empresa. Assim, torna-se necessário um reforço na segurança da informação para evitar vazamentos ou sequestros de dados, que podem ser utilizados pela concorrência para neutralizar suas estratégias.

O primeiro passo para a proteção das informações é a escolha de um fornecedor de softwares e de tecnologias bem-visto no mercado. Isso significa que outros negócios têm utilizado as soluções deles sem problemas significativos para a segurança.

Além disso, é preciso contar com profissionais bem capacitados e experientes para elaborar uma infraestrutura de banco de dados e de rede sem falhas que podem ser exploradas por agentes maliciosos.

Da mesma forma, o próprio setor de TI terá que renovar suas estratégias, utilizando tecnologias mais avançadas para o monitoramento de segurança. Nesse sentido, a Inteligência Artificial será uma aliada imprescindível para monitorar os sistemas e detectar ameaças instantaneamente.

3.2. Armazenamento de dados

Com toda a certeza, a IoT aumentará bastante a necessidade de armazenamento de dados, pois os sensores alimentarão os sistemas com vários gigabytes a cada minuto. No entanto, a infraestrutura física para armazenamento representa um dos maiores custos para as empresas, o que as impede de fazer investimentos maiores em tecnologia.

Assim, surge a nuvem (cloud) como uma solução para o setor de TI. Em vez de armazenar os dados localmente, eles serão enviados para servidores remotos gerenciados por empresas especializadas — mais capazes de manter a segurança e de ampliar sua capacidade. Com isso, seu negócio não precisará comprar novos equipamentos quando precisar escalar a infraestrutura — bastará contactar o fornecedor para assinar um novo pacote. Se essa demanda diminuir, é possível adaptar novamente o pacote e reduzir os custos.

3.3. Mudança na infraestrutura

Além de tudo isso, está ocorrendo uma mudança muito grande na infraestrutura de TI. Por meio da computação em nuvem, você poderá reduzir o gasto com PCs e servidores, que poderão ser mais básicos — visto que grande parte dos dados será processada à distância. Por outro lado, deverá haver um investimento maior em rede e Wi-Fi.

Como a maioria dos dados será transmitida pela internet, a velocidade da conexão precisará ser bastante ampliada. Isso já tem colocado uma maior pressão nas fornecedoras de banda larga, que estão implementando a tecnologia da fibra óptica. Da mesma forma, os modens e transmissores de sinal do seu negócio precisarão ser mais potentes.

Por fim, não podemos deixar de falar do 5G, um tipo de rede móvel, que será incrivelmente mais rápida do que o 4G. Assim, a conexão entre os sensores, seus sistemas e a nuvem será muito mais rápida. Quando o 5G chegar, acreditamos que as empresas que investiram em IoT ganharão uma vantagem competitiva enorme, pois, partir de então, a IoT não será mais uma opção, mas uma necessidade para a sobrevivência no mercado.

3.4. Transformação da cultura da empresa

Por fim, devemos sempre avaliar o impacto da transformação digital na cultura corporativa. A primeira grande diferença estará no perfil dos colaboradores: a capacitação em tecnologia será imprescindível. Então, em vez de várias pessoas executando tarefas manuais simples, como preenchimento de planilhas e checklists, teremos um cenário automatizado no futuro.

Consequentemente, todos deverão conhecer bem as ferramentas digitais e aprender a gerar insights e ideais inovadoras a partir dos dados. Ao contrário do que muitos pensam, a automação não está gerando desemprego. Pelo contrário, tem permitido o surgimento de novas vagas que exploram os diferenciais e os potenciais da mão de obra humana — a criatividade, a autonomia e o espírito empreendedor. Se você não sabia o que é IoT, agora, está vendo que o cenário do mercado será dominado por essa tecnologia nos próximos anos.

Quer continuar recebendo os melhores posts sobre o presente e o futuro do mundo digital para as empresas? Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades do mercado!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Scroll Up