Conheça os 6 principais benefícios do Red Hat Enterprise Linux

Red Hat Enterprise Linux
7 minutos para ler
Tempo de leitura 6 min

00O Red Hat Enterprise Linux (RHEL) é a versão do sistema operacional de código aberto mais utilizado no mundo — o Linux —, fornecida pela Red Hat para o mundo empresarial.

Por meio dele, as empresas podem contar com todas as vantagens de ter um software livre, mas, ao mesmo tempo, ter um suporte e uma complementação de uma das maiores companhias de tecnologia do mundo.

Atualmente, a maioria das organizações tem percebido que os sistemas operacionais licenciados e fechados não são uma das melhores opções para o ambiente de TI empresarial, pois não permitem personalização nem modificações em um nível mais aprofundado. Nesse cenário, o Linux tem se tornado o padrão nos setores de TI.

Se você quer entender melhor sobre como essa ferramenta funciona e seus benefícios, continue a leitura!

Como funciona o Red Hat Enterprise Linux?

O Red Hat Enterprise Linux é um sistema operacional (SO) open source voltado para o público corporativo, principalmente do setor de TI e de data centers. Ou seja, todas as suas funcionalidades são pensadas para melhorar o desempenho das tarefas corporativas. Isso permite um foco que os SO criados somente para uso pessoal não podem trazer.

Entre as vantagens do RHEL está o impulsionamento de aplicações corporativas nos ambientes virtuais e bare-metal, uso de containers e de cloud, sejam elas públicas, privadas ou híbridas. Além disso, várias versões do RHEL estão disponíveis conforme as necessidades de cada negócio.

Red Hat Enterprise Linux Atomic Host

Essa versão busca a otimização da segurança e do consumo para a execução de containers Linux. Ela é ideal para os negócios que precisam de flexibilidade e modularidade das aplicações em containers para facilitar as operações. Entre as promessas que a Red Hat faz com essa versão, estão:

  • a aceleração da entrega de aplicações;
  • a redução dos trabalhos de suporte e de manutenção;
  • a ampliação da portabilidade dos containers em infraestruturas de nuvem híbrida;
  • a estabilidade e a maturidade de todos os sistemas RHEL.

Red Hat Enterprise Linux Server for High-Performance Computing (HPC)

O Red Hat Enterprise Linux Server for HPC é uma versão direcionada para as empresas que têm cargas de trabalho extremamente extensas e variáveis.

Para lidar com elas, o RHEL utiliza a tecnologia de clusters de sistemas que são fáceis de implementar e funcionam muito bem com uma escala horizontal de hardware. Entre os benefícios que a Red Hat promete, constam:

  • a otimização da implementação ao oferecer uma opção mais leve de clusterização;
  • a minimização dos pontos de falha, além das vulnerabilidades de segurança;
  • a simplificação de tarefas de gerenciamento.

Além dessas versões, há outras personalizáveis para as suas necessidades empresariais, como:

  • Red Hat Enterprise Linux for Power;
  • Red Hat Enterprise Linux for IBM z Systems;
  • Red Hat Enterprise Linux for Real Time;
  • Red Hat Enterprise Linux for SAP Applications;
  • Red Hat Enterprise Linux for SAP Solutions.

Quais são os benefícios do Red Hat Enterprise Linux?

Agora que você já entende melhor o que é o Red Hat Enterprise Linux e suas funcionalidades, listamos, a seguir, alguns dos seus principais benefícios para uma empresa. Acompanhe.

1. Segurança

O sistema de segurança do Red Hat Enterprise Linux (RHEL) é realmente impressionante, pois conta com várias ferramentas para proteger os dados da sua empresa.

Para começar, o Sistema Operacional possui um dos firewalls de rede mais potentes no mercado, o que permite uma navegação extremamente segura. Assim, todo o ambiente de produção da sua máquina estará seguro mesmo em cargas de trabalho mais críticas, tanto na nuvem quanto in loco. Entre outras ferramentas mais relevantes estão:

  • USB Guard: monitora todos os dispositivos conectados via USB, combatendo tanto o vazamento quanto a injeção de dados.
  • SELinux com OverlayFS: recursos de proteção de containers para isolamento do aplicativo — os quais trazem uma proteção personalizada aos dados de cada software.

2. Eficiência operacional

Para aumentar a eficiência dos aplicativos e softwares, o RHEL conta com a tecnologia de containers — que é um conjunto de processos para empacotamento e organização de processos computacionais. Assim, as aplicações rodam em um microssistema com capacidade de processamento e de armazenamento individual, assim como uma biblioteca própria, em vez de rodar em um ambiente compartilhado.

Isso ajuda as empresas a simplificar e a acelerar a implementação de seus softwares. Por exemplo, a versão atual do RHEL Atomic Host traz um aprimoramento para os containers Linux para o público corporativo, com as mais recentes melhorias voltadas para a segurança e garantia de performance, integrando-se completamente ao SELinux e OverlayFS.

Outro grande diferencial que traz mais agilidade para os usuários é a possibilidade de instalação de atualizações sem a necessidade da reinicialização do sistema operacional.

3. Armazenamento e sistema de arquivos otimizado

O RHEL 7 (a última atualização disponível) trouxe uma verdadeira revolução com relação ao armazenamento de arquivos. Primeiramente, houve a troca do sistema de arquivo padrão. Anteriormente, o SO trabalhava com o EXT4, mas agora conta com o avançadíssimo XFS, o qual escalou para 500TB, permitindo que o RHEL 7 lide facilmente com sistemas de arquivos gigantescos, ultrapassando 8 exabytes.

Além disso, as aplicações mapeadas no XFS poderão armazenar dados diretamente nesse tipo de memória, que é muito mais resiliente, com altíssima velocidade e com custos muito menores.

4. Gerenciamento e automação

No Red Hat Enterprise Linux, há uma nova ferramenta de automação chamada RHEL System Roles. Ela permite que você crie fluxos de trabalhos automáticos por meio de uma interface de gerenciamento comum. Assim, você pode contar com todas as facilidades trazida pela automação via Ansible — que é um dos grandes diferenciais dos SOs Linux para o público corporativo.

5. Menor redundância de dados

Um dos grandes problemas que comprometem a performance computacional das empresas são os dados redundantes que dificilmente são identificados. Assim, ocupam espaço de armazenamento e de processamento sem necessidade. Pensando nisso, a Red Hat criou um otimizador de dados virtual (VDO), o qual busca melhorar a redundância dos dados por meio da deduplicação e da compressão em linha.

Desse modo, você verá suas máquinas físicas e virtuais ganhando muito espaço de armazenamento ativo a cada mês. É possível que diversos terabytes de espaço sejam poupados!

6. Melhor controle de identificação

O RHEL fornece a seus usuários um ecossistema de autenticação, logon corporativo e de controle de acesso unificado. Assim, você pode contar com um sistema de gerenciamento de identidades centralizado, capaz de proteger seu data center, integrando todos serviços e aplicativos hospedados nele.

Outra vantagem é permitir que esse mesmo ecossistema possa ser utilizado para gerenciar a autentificação das funções de nuvem e virtualização.

O Red Hat Enterprise Linux é um dos melhores sistemas operacionais para os setores de tecnologia da informação nas empresas de todos os portes. Afinal, ele permite uma integração de nível elevada com várias aplicações de virtualização, de data center etc. Além disso, comportam bem as novas tecnologias de containers, microssistemas e clusters. A verdade é que os sistemas de código aberto têm superado, e muito, as soluções licenciadas.

Ainda ficou com alguma dúvida a respeito da versão do Linux da Red Hat? Então, comente no nosso post!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Scroll Up